Resenha: A Garota no Trem - Paula Hawkins

quarta-feira, junho 22, 2016



A Garota no Trem
Autora: Paula Hawkins
Editora: Record
Páginas: 378

Sinopse: Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Janson –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

Rachel parou no tempo. Seu casamento chegou ao fim, perdeu o emprego, viciou-se em álcool e todos os dias tem a mesma rotina: acorda de ressaca e pega o mesmo trem a caminho de Londres, onde passa o dia fingindo estar trabalhando para não preocupar a sua companheira de apartamento.
Acostumada a pegar o mesmo trem e fazer o mesmo caminho na ida e na volta para casa, Rachel criou o hábito de observar a mesma casa e imaginar uma história para o casal que ali morava, sentindo como se fizesse parte daquela família. Toda essa linda história sofre uma ruptura quando novos personagens surgem na história daquele casal.
Completamente envolvida, Rachel parte em busca de repostas e acabará descobrindo mais sobre si.

A leitura é fluida, em dois dias consegui acabar com a agoniante história. Fiquei envolvida pela solução do mistério, porém a narrativa deixou a desejar. Não me sentia envolvida com os personagens e aspectos importantes foram esquecidos em meio a turbilhão emocional que os personagens carregam.
Rachel não é um personagem muito cativante, vive de porre, não parece fazer nada para seguir em frente e consequentemente acaba prejudicando outras pessoas em seu caminho.
A autora realmente conseguiu passar toa a dificuldade de uma pessoa que enfrentam alcoolismo e a depressão, mas havia momentos em que eu queria pular as partes narradas por Rachel.

O livro é quase um quebra cabeça, e isso foi o que me motivou a continuar a leitura.
A Garota no Trem foi um livro muito falado no segundo semestre do ano passado, ainda mais depois da notícia sobre a adaptação para o cinema.
Foi o primeiro thriller psicológico que eu li, me conquistou em alguns aspectos, mas também deixou a desejar.
“De vazio, eu entendo. Começo a achar que não há nada a se fazer para preenchê-lo. Foi o que percebi com as sessões de terapia: os buracos na sua vida são permanentes. É preciso crescer ao redor deles, como raízes de árvore ao redor do concreto; você se molda a partir das lacunas." (p.144)

Posts Relacionados

10 comentários

  1. Eu sou doida por esse livro, gosto de filmes nesse estilo mas nunca li nada assim. Seria uma ótima maneira de começar, ainda mais que a adaptação terá a Laura Prepon <3

    ResponderExcluir
  2. Sou muito curiosa pela leitura desse livro! Eu super gostei da sinopse dele e todas as resenhas que eu leio sempre me despertam curiosidade e me fazem querer ler cada dia mais hahaha
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei mega curiosa para ler exatamente por conta do trailer do filme! E continuei mega curiosa depois dessa resenha! Hahaha Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    ResponderExcluir
  4. Nossa dois dias, realmente parece ser um livros instigante e já li outras resenhas super positivas deles! Estou mega curiosa!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu também li esse thriller mesmo não senso fã do gênero e ele me conquistou.
    Me mostrou que há histórias muito interessantes e surpreendentes que valem a pena serem lidas.
    Rachel é uma personagem tão verdadeira, tão palpável que realmente foi uma experiencia única.
    Adorei a resenha.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Também fiquei curiosa para ler esse livro, mas confesso que o sucessinho dele me fez ficar receosa (ironicamente me parece que tudo que faz sucesso é cheio de clichê e como estou acostumada a suspenses, clichê é mais irritante para mim do que o normal), também o fato de ele não sair do preço salgadinho que ele está nas livrarias. Quando rolar uma promoção vou dar uma olhada. Seguindo o blog, beijão

    literalizza.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também fico com esse mesmo receio, mas gostei bastante

      Excluir
  7. Caramba, eu já estava louca para ler esse livro desde que vi a capa, mas ainda não havia parado para mergulhar em uma resenha e, nossa... estou atordoada de tão curiosa! Apesar dos excelentes alertas (dos pontos negativos) que deu, pude perceber nas suas próprias entrelinhas que eles tiveram suas necessidades em assim existir. A obra parece, acima de tudo, ser crítica e reflexiva. Adorei a resenha!

    SEMQUASES.COM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que curtiu! Fico feliz mesmo quando gosta da minha resenha :D

      Excluir